Metalúrgico: Hora de fazer o Planejamento Previdenciário para a melhor aposentadoria

Metalúrgico: Hora de fazer o Planejamento Previdenciário para a melhor aposentadoria

planejamento previdenciário metalúrgico

Metalúrgico, se você está prestes a se aposentar e sonha com uma aposentadoria justa e sem burocracia: leia esse artigo.

Chegou o momento de Planejar a Aposentadoria.

O Planejamento Previdenciário irá permitir que o trabalhador visualize seu futuro em termos de aposentadoria e eventuais ações que possam ser tomadas para que receba um benefício com o valor desejado.

Ninguém sabe quais serão suas necessidades daqui 10, 20 ou 30 anos. Mesmo desconhecendo o futuro, por meio de um bom planejamento será possível alcançar segurança e uma estimativa realista de quanto e como será a aposentadoria.

Você está trabalhando há tantos anos, então porque não dedicar um bom tempo para planejar o seu benefício que você receberá com tanto suor?

Quer mais um motivo para começar agora o seu planejamento em 2022? Então veja essa dica: porque utilizar-se dos índices atuais de inflação é uma excelente fonte para se aproximar do valor real que poderá ser o benefício e permitir a adoção de estratégia previdenciária a longo prazo.

Neste post você vai encontrar tudo o que é necessário para iniciar o planejamento: documentos necessários, como comprovar os vínculos empregatício, contribuições previdenciárias e muito mais.

Veja:

  1. O que é um Planejamento Previdenciário?
  2. Qual a hora de começar o Planejamento Previdenciário?
  3. Quais documentos você precisa ter em mãos para começar o Planejamento
  4. Planejando a Aposentadoria Especial

Acompanhe e boa leitura.

1. O que é um Planejamento Previdenciário?

É um estudo detalhado de todo o histórico de vida contributivo e trabalhista do metalúrgico.

A análise preliminar aponta quanto tempo o trabalhador ainda precisa contribuir para a previdência para ter direito a merecida aposentadoria, e também a estimativa matemática que irá permitir saber quanto poderá receber quando chegar o momento da solicitação.

Portanto, é importante você ter em mente que o valor será uma projeção para a aposentadoria, que poderá ser daqui 10, 20 ou 30 anos, e não o cálculo com exatidão, uma vez que deverão ser levados em conta ainda: reajustes, inflação e mudanças nas regras previdenciárias.

Metalúrgico, viu a importância de planejar a sua aposentadoria em 2022?

O planejamento vai identificar as possibilidades existentes para que o metalúrgico se aposente com o benefício mais vantajoso, evite recolhimento e contribuições além do tempo necessário.

Planejar o quanto você vai receber é fundamental.

Mas as vantagens de planejar a aposentadoria não acabam por aqui. Quer saber mais?

Acompanhe:

Permitir a aposentadoria no momento correto

Sim, por meio do planejamento é possível identificar a melhor data para se aposentar. Se o segurado fizer o requerimento antes do tempo, poderá receber um valor menor do que teria direito.

Já se o segurado fizer o requerimento da aposentadoria após o tempo correto, poderá perder o dinheiro.

Quanto mais cedo for elaborado o planejamento, maiores serão as chances de aposentadoria com um valor justo no futuro.

Garantir que a sua aposentadoria seja a mais adequada a seu perfil e com o melhor valor possível

Ao identificar o melhor momento para aposentadoria, é possível conseguir o melhor benefício e identificar como poderá aumentar esse valor futuramente.

Evita o prejuízo do segurado se aposentar depois do tempo, reduzindo possíveis perdas de contribuições previdenciárias pagas sem necessidade.

Planejar-se garante que você tenha mais clareza com relação a data correta para fazer o requerimento da aposentadoria.

Processo mais rápido e sem burocracia

Dar entrada na solicitação de aposentadoria com documentação incompleta ou incorreta pode atrasar a concessão de seu benefício em mais de 3 meses.

Por meio do planejamento previdenciário, o seu processo será montado com a documentação correta e com antecedência e o benefício poderá ser concedido em poucos meses. 

Tranquilidade no momento da aposentadoria 

Com o planejamento previdenciário, o metalúrgico terá a certeza do momento ideal de sua aposentadoria e com o melhor valor possível.

Planejar é o caminho mais eficaz para garantir um benefício justo e sem estresse. 

Garantir o valor certo de contribuição

A grande maioria acredita que é obrigatório contribuir pelo teto do benefício. Mas, o que não sabem, é que nem sempre isso fará alguma diferença no cálculo final.

Fazer a contribuição pelo teto do benefício, poderá aumentar o valor de seu benefício, mas nem sempre isso será possível. De acordo com a legislação, 20% do período de contribuição será desprezado.

O cálculo da aposentadoria é feito por uma média, por isso é desnecessário contribuir com o teto durante toda a vida como trabalhador.

Agora que você já sabe o que é um Planejamento Previdenciário e suas inúmeras vantagens, chegou o momento de dar início ao plano. Mas, será que tem a hora ideal para começar a pensar nessa organização?

É o que você vai ver agora!

2. Qual a hora de começar o Planejamento Previdenciário?

Isso é o principal: saber o momento de dar início ao planejamento e começar os preparativos para o momento mais esperado após uma vida árdua de trabalho.

A maioria deixa para pensar nesse assunto somente quando já está nas vésperas do dia do agendamento no INSS. E qual poderá ser o resultado? Benefício concedido abaixo do valor esperado ou pior ainda, o benefício poderá ser negado.

Quanto antes você começar a pensar no planejamento, melhor será o resultado alcançado.

Por este motivo, o ideal é começar a planejar a vida contributiva e trabalhista de 5 à 10 anos antes da provável data de entrada no processo de aposentadoria.

Se você é autônomo ou segurado facultativo, fique atento agora com essa informação!

Nesse caso, o ideal é realizar o Planejamento Previdenciário anualmente. Como o pagamento do INSS é realizado por conta própria é importante ter certeza de que as contribuições estejam sendo recolhidas de forma adequada.

Alguns fatores também deverão ser levados em consideração ao iniciar o planejamento, como:

  • Tipos de aposentadoria;
  • Tempo de contribuição;
  • Valor de contribuição;
  • Valor que o trabalhador deseja receber de aposentadoria;
  • Direito Adquirido;
  • “Regras de Transição”;
  • Fator Previdenciário.

Quanto mais cedo o segurado começar a fazer o Planejamento, mais tempo terá para coletar os dados necessários e organizar a documentação da vida contributiva e trabalhista. E lembre-se: a aposentadoria é o valor que você receberá pelo resto da vida.

Portanto, nada melhor do que um estudo detalhado para analisar e planejar a sua aposentadoria.

Você viu o momento ideal para começar a pensar no planejamento. Mas quais serão os documentos que você vai ter para o início do estudo jurídico?

Acompanhe.

3. Quais documentos você precisa ter em mãos para começar o Planejamento?

Essa é uma das fases mais importantes do planejamento e o pesadelo para muitos: quais documentos serão necessários.

O passo número 1 para início do plano estratégico é a documentação previdenciária e trabalhista do metalúrgico. E qual seria essa documentação? Carteira de Trabalho, Guia de Recolhimento e Previdência Social e muito mais.

Fique calmo.  Confira a documentação detalhada comigo.

RG, CPF e Comprovante de Residência

Essa é a documentação básica que você vai precisar para qualquer procedimento junto ao INSS.

São documentos pessoais para comprovar a sua identidade e onde você mora.

Para ser aceito, o comprovante de residência deve ser atualizado. Pode ser uma conta de água, luz, internet, fatura de cartão.

Carteira de Trabalho

É o documento mais importante para você comprovar os vínculos trabalhistas.

Se você possuir mais de uma carteira de trabalho, deverá apresentar todas no dia do agendamento do requerimento.

Não sabe onde está a sua CTPS? Então corre para começar a providenciar a documentação.

CNIS

O CNIS é o famoso Cadastro Nacional de Informação Social. Talvez você não conheça por esse nome, mas por Extrato Previdenciário.

O CNIS é o documento que registra todos os vínculos previdenciários e trabalhistas ao longo da vida laboral do trabalhador.

Mas não precisa se preocupar.  Esse documento pode ser emitido pelo servidor do INSS.

Ao ser emitido, busque o auxílio de um profissional especializado em direito previdenciário para checar todos os dados.

Você deverá verificar se constam no CNIS:

  • Todos os seus vínculos empregatícios a partir de 1976;
  • Todos os recolhimentos como contribuinte individual a partir de 1979;
  • Valor das remunerações mensais a partir de 1990.

Por meio do CNIS que o trabalhador também vai comprovar a sua data de filiação à Previdência Social, o tempo de contribuição e carência que possui.

Você está com seu CNIS em mãos e conferiu que faltam essas informações. O que fazer? Não é motivo para pânico. Nesse caso, você vai precisar apresentar alguns documentos extras ao INSS. Veja quais são:

  • Contrato de Trabalho;
  • Registro de Ponto;
  • Termo de rescisão de contrato de trabalho;
  • Comprovantes de recebimento de valores de seu chefe;
  • Fotos e vídeos que mostrem você trabalhando.

Se não possuir todos esses acima, não tem problema. O importante é a apresentação de documentos adicionais que possam comprovar os seus vínculos de trabalho.

Note como é importante o Planejamento Previdenciário para que você não tenha dor de cabeça na hora de dar entrada na aposentadoria.

Guia de Previdência Social – GPS

Lembra dos pagamentos de contribuições para a previdência? Nesse momento, você vai precisar de todas as suas GPS devidamente pagas.

Com a documentação em mãos, hora de planejar a aposentadoria especial.

Acompanhe.

4. Planejando a Aposentadoria Especial

A aposentadoria especial é o benefício concedido pelo INSS, aos trabalhadores expostos a condições prejudiciais à saúde ou à integridade física. 

Pelo exercício da atividade exposta a agentes nocivos à saúde (sejam eles químicos, biológicos ou físicos), o tempo de contribuição e idade mínima para requerimento do benefício, eram menores se comparados às outras espécies de aposentadorias, por isso Aposentadoria Especial.

No entanto, há um detalhe a ser observado: a exposição a agentes nocivos à saúde deve ser permanente, ininterrupta e acima dos níveis permitidos em lei.

Mas, para efeitos legais, o que são agentes físicos, químicos e biológicos? É o que você vai ver agora.

Agentes Físicos: 

São atividades que podem degradar fisicamente o trabalhador. Por exemplo: calor intenso, frio excessivo, ar comprimido, ruídos.

Metalúrgico, você sabe quais os limites definidos em lei para exposição a ruídos, sem que haja prejuízo à saúde? A legislação define como limite máximo até 85 DB.

Os limites de tolerância são concentrações ou intensidades máximas ou mínimas de exposição a agentes insalubres incapazes de causar danos à saúde ou integridade física do trabalhador.

Os limites toleráveis de calor deverão ser medidos em graus centígrados e irão variar desde o tempo de exposição do trabalhador ao calor à atividade exercida. 

Por fim, nos casos de exposição a ruídos permanentes, os limites toleráveis pela legislação serão medidos em decibéis.

Agentes Químicos

São atividades em que o trabalhador faz a manipulação desses agentes químicos. Como: Arsênio, benzeno, iodo, chumbo, mercúrio.

Agentes Biológicos:

Aqui, a simples exposição a esses agentes garante ao trabalhador condições especiais. Portanto, não é necessária a comprovação dos limites de tolerância definidos em lei.

São as atividades onde o trabalhador tem contato com materiais contaminados. Exemplos: vírus, bactérias, fungos.

Aos trabalhadores da indústria metalúrgica, o benefício da Aposentadoria Especial é devido à exposição de agentes nocivos à saúde, como o benzeno, inalado ao fazer o corte dos metais.

Além de agentes químicos, trabalham diariamente expostos a sujeira, gases, ruídos e barulhos acima do permitido em lei, em grandes alturas sujeito a quedas, exposto à soldagem, sem contar os riscos de ferimentos graves no manuseio, corte e extração dos metais e materiais.

Lembra que na aposentadoria especial, na hora de verificar os requisitos para a concessão da aposentadoria, a atenção e o cuidado deveriam ser em dobro? Infelizmente o INSS tem a tendência de negar pedidos de aposentadoria especial. Principalmente pelo argumento de que não foi comprovada a insalubridade ou periculosidade no exercício da profissão.

Então, o que você vai precisar? Anota aí:

  • PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário;
  • CTPS – Carteira de Trabalho da Previdência Social;
  • LTCAT – Laudo Técnico de Condições de Ambiente de Trabalho;
  • Laudos de Insalubridade;
  • DIRBEN 8030, SB 40, DSS 8030;
  • Holerites;
  • Perícias Judiciais Previdenciárias;
  • Certificados e Apostilas;
  • Testemunhas – Justificação Administrativa.

Por isso, é tão importante planejar a sua aposentadoria especial.

Conclusão

Você terminou de ler o nosso post e já deve estar pensando nos documentos que você vai precisar para começar o planejamento da sua aposentadoria especial.

Planejar a aposentadoria ajudará o segurado a ter certeza em relação a sua futura aposentadoria, além de solucionar com antecedência eventuais pendências que possam surgir e garantir com sucesso a concessão do benefício.

Ao fazer o planejamento da aposentadoria especial, o segurado estará muito mais tranquilo.

O próximo passo? Buscar o auxílio de um advogado especialista em direito previdenciário.

Espero que esse conteúdo tenha ajuda.

Se depois do nosso post você ainda ficou com alguma dúvida, não tem problema! Basta deixar um comentário que esclarecemos para você.

Até a próxima!